Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

20 de nov de 2014

XI Encontro dos Primos

Chegou o dia. 15/11/2014. Dessa vez no Encontro foi no sitio do Waltinho Brandão, lá no Machadão em Paraisópolis. Como em todos os demais tornou-se inesquecível.

Nesse encontro houve algo que confirma minha tese de que parentes ensinam mais do que imaginamos. Uma idéia muito legal de minha irmã Wanilda serviu de lição para as meninas e, por que nao dizer, para os meninos também.

Em primeiro lugar perceberam que gente grante conhece umas coisas muito legais que fazem todos esquecerem do celular. Iupiiiiiiii! Viva nós!
Vejam o texto abaixo de Wanilda e entenderão.

"Há onze anos minha família mineira agita um grande e prazeroso encontro dos primos.

Neste último fim de semana nos reunimos novamente em Paraisópolis, sul de Minas Geraiscidade onde nasci, para mais uma vez desfrutarmos da alegria, de abraços, e para matar a saudade.

Vem primos da Bahia, de Santa Catarina, de São Paulo, de Campos do Jordão, enfim, decabo a rabodesse Brasil de meu Deus!

Para a farra deste ano propus à mulherada uma "horinha de bordado e uniãopara construirmos uma toalha em patchwork! E elas toparam!

Entreguei, então, a cada uma delas, um paninho para que fosse desenhado o contorno de sua mão esquerda. Aí, sem censura e com alegria, a dona da mão foi convidada a bordá-la!

As mulheres presentes puderam, felizes, colocar as conversas em dia e, também, saborear o cafezinho com biscoitinhos bem mineiros!

Às que não puderam comparecer, tratei de lhes enviar um convite-paninho. E olha como mineira é rápida! receberam o insumo necessário para participar da nossa toalha, e aguardo o resultado de cada uma para sentar na máquina e montar a toalha Mãos das mulheres da nossa família.

Esse produto final será exposto para todos os primos no encontro de 2015.
Vou contar uma coisa: foi uma tarde muito agradável e divertida.

As que nunca bordaram na vida contaram com a ajuda das mais experientes! Aquelas que achavam que não tinham nenhuma habilidade, por fim, conseguiram nos matar de rir e produzir um bordado muito interessante! E as bordadeiras de longa data nos encantaram com sua destreza e seu capricho.

Observar as bordadeiras octogenárias mantendo seus olhos na agulha e, simultaneamente, conversando e rindo, foi emocionante!

Desde pequena tenho as irmãs da minha mãe como exemplo de vida.
Elas sempre bordaram, sem linha e agulha, no seu dia a dia, a honestidade, a coragem, a e o amor pela família.

Minha homenagem e meu agradecimento às tias Wilka, Waleska, Waldeneuza, Waldyra, Wayne, Wenilse e Walderez, e a minha mãe, a mais velha das irmãs Almeida, por ter me ensinado a enfrentar a vida com a cabeça erguida e com trabalho, muito trabalho!

O meu abraço agradecido a todas as mulheres da família que colaboraram com o projeto.

Pelas fotos para ver o quanto são especiais!"











Ah! Onde está Wally? Isto é, o celular? Procurem.

Um comentário:

  1. Obrigada por colocar no seu blog o meu texto e pela sua participação na roda de bordado cheia de mineirices! Foi muito espacial mesmo ver aquela mulherada querida juntas em prol de um projeto único! Adorei ninguém ter achado o Wally! Rsrsrsr beijo

    ResponderExcluir