Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

18 de nov de 2011

Para o Guto

Eis a foto que mencionei, Guto. Observe se esse homem não era muito bonito e garboso. Ele iria fazer  em setembro desse ano 20 aninhos. Minha mãe viria a nascer em Outubro de 1925.
A muito o que dizer sobre nosso avô e muito pouco espaço na Internet para caber, concorda?
Fiquei emocionada com seu carinho com ele, com seu cuidado e seus gestos de quem realmente ama um parente tão importante na ordem das coisas.
Quando o tirei da galeria dos Mortos de minha mãe fiquei reparando nos detalhes: na juventude, na segurança, na maneira atípica de se sentar numa cadeira para o ano em que foi fotografado, na dedicatória para uma de suas irmãs (que não sabemos qual era), no olhar firme de quem efetivamente sabia o que queria.
Adoro essa foto!
Espero que aproveite , assim como os outros primos, desse nosso avô que hoje em dia quase ninguém conheceu como se apresenta na foto. será que há alguém? Creio que não.
Um beijo
Wania

3 comentários:

  1. Guto querido,

    Desculpe-me comentar antes de você! Não resisti!
    Não era lindo nosso avô?? Não é por acaso que teve filhos e tem netos tão maravilhosos!Realmente é uma questão de DNA.

    Adorei Wania.

    Beijos Guto e obrigada por encantar meu filho neste último fim de semana !

    Wanilda

    ResponderExcluir
  2. esse nosso avô era lindo mesmo. Mesmo já mais velho, nunca perdeu a elegância. Andava de paletó e chapéu já velhinhos, mas não os largava. Uma característica que me marcou muito era a cara de "arte"! que ele tinha. Parece estar sempre arquitetando algo...e a Vó Hilda segurando. Hj em dia acho o Wander bem parecido com ele. Claro que tem uma mistura, até porque a boca é bem Vasconcellos, mas inclusive a cara de levado o Wander tem. Bjs já com saudades

    ResponderExcluir
  3. Quem sai aos seus não degenera...
    Que nascemos com características físicas do nosso pai e da nossa mãe toda a gente sabe... mas perceber os jeitos e feitios que adquirimos de um e de outro é uma tarefa engraçada a que muitas vezes me dedico. Não raras vezes delicio-me a olhar para o meu pai e a ver no seu jeito de ser também a minha maneira de ser. Dele acho que é a minha teimosia e a minha persistência (o "quero assim e de mais nenhuma forma" e o "só saio daqui quando estiver como eu quero"), as birras (as "in" e as justificadas) e a infinita bondade. Da minha mãe sinto que aprendi a calma e a serenidade, o sorriso e a boa disposição mesmo quando as coisas correm mal.
    Como podem ver são só qualidades, o que significa que os defeitos encarreguei-me de os construir sozinha :)
    Agora pensem, cada um de vocês, que jeito têm idêntico ao dos vossos pais, que feitio é vosso mas peculiarmente de um deles?

    Autor deconhecido

    ResponderExcluir