Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

8 de set de 2010

"Tinha era cansaço de esperança" Riobaldo

A quantidade de vezes que fico olhando esse lugar de escrever sobre meus queridos parentes é tão grande que vocês nem tem conta: Tem hora que penso em falar que acabei o Grande Sertão: veredas e que sou só pensamento; em outras me vem a tentação de começar a contar sobre o Tio Wilton que morreu faz 3 anos e que me ensinou tanto; e até contar uns ensinamentos de meu pai e minha mãe. Não está saindo e não sei por quê.

No momento estou feliz com a expectativa de ganhar mais um sobrinho ou sobrinha. Que seja tão fofo quanto a Sophia que (com seus quase 3 anos) de vez em quando, olha para mim e pergunta: Você é minha amiga? Que ao brincar canta na íntegra o Hino Nacional e ainda diz: Segunda parte, antes de iniciar a mesma. Que nos faz sentar no sofá enquanto se ajeita com um livro nas mãos para contar a história do lobo faminto e os Três Porquinhos.

Hoje é aniversário da minha sobrinha Júlia: 23 anos. Essa menina é um encanto mas não é bobinha, ao contrário, é esperta, inteligente e sabe o que quer.

Comemoramos seu aniversário ontem e foi muito gostoso ter nos reunido mais uma vez. Foi um daqueles momentos ímpares que só numa família grande acontece: Convidados de 2 anos até 84 anos todos num mix fantástico.

Obrigada Juju por mais uma vez ter tido a oportunidade de viver isso!

Aqui vai um flagrante da festa 9enquanto o restante do povo procurava a "veia da juia". Tradução: Velas da Julia.

8 comentários:

  1. Tata, fiquei emocionada!
    Primeiro com a descrição(Perfeita!) da nossa pequenina Sophia! Uma virginiana e tanto que, aos 3 anos, já canta o Hino Nacional, dá bronca de gente grande e tem o poder de alegrar qualquer momento com um simples: "Você é minha amiga?" rs.
    Segundo, por poder dividir com vocês mais um aniversário e poder comemorar meus 23 anos na sua casa que está sempre de portas abertas para as nossas reuniões familiares!
    E terceiro, por estar presente no seu blog! =)
    Obrigada!
    Amo vc.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Não há o que agradecer doce sobrinha.


    E a você, Madame desconhecida, agradeço suas palavras gentis que combinam tão bem com seu título.

    ResponderExcluir
  3. Por favor, não deixem de observar o sorriso profissional de Sophia.

    ResponderExcluir
  4. Waninha,
    Riobaldo diz que..."Parente não é o escolhido – é o demarcado". E é só por isso que essas reuniões são maravilhosas! É quando olhamos para o lado e vemos risos, emocionamo-nos com uma vida que vem, uma que desabrocha outra que se firma! Fechar os olhos e ouvir sons que aquietam nossos corações porque estão presentes aqueles que os emitem. É sentir o amor que Riobaldo tão bem definiu!
    "... amor é a gente querendo achar o que é da gente".
    Parabéns, Júlia!
    O que posso deixar de presente para você é outro aforismo Riobaldiano."...o mais importante e bonito, do mundo é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas, mas que elas estão sempre mudando. Afinam e desafinam".
    beijos a todos

    ResponderExcluir
  5. É isso aí, querida laura.
    Já pude perceber que você está por dentro (e como) dos sertões. Já estou Riobaldiana também.
    beijocas
    wania

    ResponderExcluir
  6. Pois é... Estar Riobaldiana hoje em dia é natural... e até normal.
    Mas na maioria do tempo fingimos "estar" nós mesmos!
    Então para parecer normal aí vai uma Riobaldiana minha :
    "Natureza da gente não cabe em nenhuma certeza."
    Juju,amada minha... te amo tanto que nem sei quanto! Parabéns querida.
    Beijos meus para toda esta familia linda que é a minha familia.

    ResponderExcluir
  7. Querida Tatinha,
    adorei seu escrito (no dizer Riobaldiano).
    beijos
    Wania

    ResponderExcluir