Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

13 de fev de 2009

O banquinho e não o barquinho!

A todos, peço desculpa pelo atraso nas postagens mas estou tentando colocar outros departamentos de minha vida em ordem e isso tem tomado meu tempo. Estou numa fase de profunda organização que me tem trazido transtornos e alegrias. Estou começando a tomar gosto pela coisa. O quarto de minha mãe está quase perfeito com tudo em seu lugar. Cheguei a conclusão de que ela nunca teve um armário só dela, mas agora tem. Para que todos fiquem com vontade de sentar aqui vai algo para mantê-los pensando no quanto aprendemos com nossos parentes. Usufruam pois a Sophia já o faz. Ah! Não sei quem pintou de verde, mas posso imaginar. beijos Wania Obs.: Fiquei muito feliz pelo andamento dado por minhas primas amadas ao meu blog mantendo viva a ideia de lembrar coisas boas que nos ajudaram a crescer e aprender. Vocês são o máximo! Agora, afinal, seguem fotos de uma pessoa (mais velha da familia) de outra (a mais nova por enquanto) e aquilo que nos tornou felizes durante anos.

6 comentários:

  1. Talvez seja eu, aquela que, em primeiro lugar, fará pelo menos, o primeiro comentário. Isto por vários motivos que agora não tenho vontade de colocar. Quem sabe algum dia o faça.
    Mas ver em foto a pessoa que mais respeito neste mundo, ver a pessoa viva que mais amo neste mundo, ver a pessoa, que em toda minha vida foi e sempre será o exemplo que tento seguir, sem muito êxito vale ressaltar, pois ela é única, singular e inimitável.
    Ver a imagem dela me fez cair em lágrimas...
    Quero seu colo minha amada madrinha, apesar de que, a hora é sim de eu dar colo a você...
    Mas confesso que preciso desse sorriso, confesso que preciso do seu colo macio, confesso que nada neste mundo me faria melhor, se isso fosse possível agora!
    Droga de distância! Droga de idade, que me faz tão sensível a ponto de ver o quanto jogamos fora momentos que são tão importantes...Droga de idade que me faz ser uma chorona de marca maior...Droga de distânciaII! :´(

    Ainda tenho muito para dizer sobre este post...
    Ficará para quando as lágrimas estiverem somente dentro do peito...:´(

    ResponderExcluir
  2. Katya! discordo de você! Não acho que sensibilidade tem a ver com idade! Nós Almeidas somos sensíveis desde que nascemos! Apesar do jeito tosco,lembra a cara que tio Wilton Raimundo fazia quando cantava?? Sorte a nossa termos essa maravilha de internet, que transforma distâncias e acalenta corações. Antes mesmo de ler seu comentário, também senti um nó no peito. Também lembrei dos momentos bons! Sei que saudade dói, mas nem por isso temos que guarda-la dentro do peito. Isso faz mal!! Ponha pra fora mesmo! Chore, grite, fale até espumar o canto da boca, escreva até quebrar as unhas e não se culpe por isso!

    ResponderExcluir
  3. Falvita queridinha,
    Concordo com você em termos...
    Leia a frase que você colocou : "antes mesmo de ler ... nó no peito"
    Mas não referí que minha sensibilidade foi aflorada com a idade, mas sim em dizer que com o passar do tempo "perdemos muita coisa" por idiotamente pensar que somos eternos e, sendo um pouquinho mais consciente da minha mortalidade, choro muito mais de saudade, choro de alegria, choro de raiva, choro por paixão.. da mesma forma que a alegria se faz presente com mais intensidade que a tristeza. Não sei se você leu em alguns dos meus milhões de comentários que, somos superlativos em tudo... vivemos tudo com muita intensidade e vontade.
    E por falar nisto, não vejo a hora de estarmos juntas de novo e desta vez vai ser para rir, dançar,comemorar tudo com muiiiitttta alegria!!!
    mas antes disto vocês, privilegiados, terão uma amostra dia 28/02 argrgggggggggggrrrrrrrr que vontade de irrrrrrr!!!
    Outra coisa, você já notou se dependesse de calo nos dedos de escrever, eu já estaria com eles sem condição de uso???? Conte a quantidade de : "TATINHA ESCREVE"
    E tem mais.... vou parar agora, porque tenho que ir... mas volto :)
    E os e-mails???? de quem mais vocês recebem, heim.. heim.. heim???
    Beijos amada

    ResponderExcluir
  4. CREDO! EU Q/ ESTOU NO INFERNO ASTRAL E VCS Q/ FICAM AI CHORANDO!
    VAMOS AGIR!
    VAMOS FAZER O POSSÍVEL E O IMPOSSÍVEL P/ ESTARMOS JUNTOS DE QUEM AMAMOS, NA VIDA AS VEZES PRECISAMOS OUSAR, DARMOS UMA DE LOUCO, SEM TER MEDO DE SER FELIZ, PRINCIPALMENTE DEPOIS DE CERTA IDADE.

    ResponderExcluir
  5. QUERIDA TIA WALDETE!
    OBRIGADA POR VC EXISTIR.
    ESPERO VÊ-LA NO DIA 28, ESTOU C/ SAUDADES.
    BJS.

    ResponderExcluir
  6. Com eu havia dito, eu ainda tinha muito o que falar sobre este post, e depois de um longo tempo, sinto vontade de falar sobre ele, ou talvez sobre o banquinho.
    Estava lendo outro dia Ruben Alves, sobre uma crônica, que falava sobre o lugar mais importante de uma casa. Leiam e vejam, com que parece esse pedaço da crônica:

    " Qual é o lugar mais importante da sua casa? Eu acho que essa é uma boa pergunta para início de uma sessão de psicanálise. Porque quando a gente revela qual é o lugar mais importante da casa, a gente revela também o lugar preferido da alma. Nas Minas Gerais onde nasci o lugar mais importante era a cozinha. Não era o mais chique e nem o mais arrumado. Lugar chique e arrumado era a sala de visitas, com bibelôs, retratos ovais nas paredes, espelhos e tapetes no chão. Na sala de visitas as crianças se comportavam bem, era só sorrisos e todos usavam máscaras. Na cozinha era diferente: a gente era a gente mesmo, fogo, fome e alegria.

    "Seria tão bom, como já foi...", diz a Adélia. A alma mineira vive de saudade. Tenho saudade do que já foi, as velhas cozinhas de Minas, com seus fogões de lenha, cascas de laranja secas, penduradas, para acender o fogo, bule de café sobre a chapa, lenha crepitando no fogo, o cheiro bom da fumaça, rostos vermelhos. Minha alma tem saudades dessas cozinhas antigas..."

    E quando comecei a lembrar das casas que frequento (muito poucas) percebi que é lá na cozinha em que sentimos a "alma da casa".

    Wania... onde é que sempre nos reunimos em sua casa? Cozinha!
    Wania? Onde a Tia está nestas fotos do post? Cozinha!
    Wania... Vai ser aqui em casa que vocês irão se sentir bem e digo mais... a minha cozinha não tem fogão de lenha e se entrar mais de "dois" o terceiro tem que sair, mas sei que tomaremos muitos cafézinhos de madrugada, sentadas em um banquinho, contado causos e matando nossas saudades, que são enormes!!!!
    E citando o Rubem de novo :

    " Eu gostaria de ser muitas coisas que não tive tempo e competência para ser. A vida é curta..."

    Por isso vivo me aperfeiçoando na arte de amar os que me amam!

    Beijos de alguém ansioso para chegar dia 26 logo!

    ResponderExcluir