Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

16 de jan de 2009

Meia de seda ou abrir o baile III

O que aconteceu que abandonei meu blog familiar? Chuva em São Paulo. A Net pifou várias vezes e está tudo confuso no presente, daí a importância de irmos para o passado tão seguro, pois ele já era. Segundo minha mãe: "recordar é viver". Cabe outra explicação: A insistência em manter um título com um OU no meio. Apesar de minha prima Katya-Tatinha, minha fiel escudeira discordar, a primeira parte do título tem muito a ver com algo vivido por mim que foi espantoso e educativo simultaneamente. Creio, infelizmente, que poucas são as primas, todas mais novas que eu, puderam viver: ver uma tia colocar uma meia de seda (com luvas) e se olhar no espelho para verificar se estava reta a costura ou não. Essa foi uma das cenas marcantes da minha vida em família que me ensinou a saber me portar como mulher que sou. Há alguém que se preocupa com esse ensinamento hoje? Não acredito, estão todas tão ocupadas que não dá tempo de se viver descobertas. Ia entrando no quarto de minhas tias na casa da cidade e senti que havia um clima estranho na casa (mal sabia eu que iria vivê-lo diversas vezes em minha vida - o dia de baile). Tenho a impressão que devia ter uns 10 anos e não sabia que existia outro ritual familiar que era o de se aprontar (ou se re-vestir) no mesmo dia para ir em outro lugar. O máximo de 'minha aprontada' era o banho , o pijama e a cama, além do Chiiuu! o Deus te abençoe, para dormirmos logo. Nunca tinha me dado conta que algumas pessoas saiam durante a noite. No entanto, isso não foi tão importante; o significativo foi ver duas tias minhas, Wayne e Wilka, colocando suas meias de "sair". Quem usava as luvas era a tia Wayne que tinha muita paciência comigo e sempre me explicava coisas. "É melhor por luvas, Wania, por que assim não desfiam" . Levei um certo tempo para entender o que desfiaria e lá fiquei olhando, impressionada especialmente com o olhar de costas para o espelho e posterior verificação se estavam retas ou não. As meias de "sair" eram meias de seda que apesar de fininhas, transparentes faziam minhas tias-lindas se transformarem em mais lindas ainda. Era curioso pois assim que colocavam as meias de sair calçavam sapatos que as deixavam mais altas ainda. Era algo bonita de se ver e ouvir. Até hoje o som dos saltos me fascinam e são capazes de me fazer deixar de usá-los se o som não corresponder as minhas expectativas. Das frustrações vividas até hoje está o fato de não ter tido uma meia de seda com costuras atrás. Lembro-me nitidamente que durante dias ficava treinando o tal olhar de costas para o espelho, mas nunca foi igual ao da minha tia. Hoje fico pensando que minhas sobrinhas não tiveram a oportunidade de aprender comigo como vestir meias de seda. Que pena! Será que elas sabem que com luvas não desfiam? Será que sabem o que são luvas, além das de inverno?

6 comentários:

  1. Olha eu aqui again! Sei perfeitamente quando você refere ao "assistir" nossas tias se aprontarem para ir ao baile, aquilo era um ritual... primeiro que o "APRONTAR" começava bem antes do dia, era uma coisa pensada de tal forma que o "corte da fazenda" leia-se: tecido,pano,seda,organgi,qualquer coisa no sentido, pois assim que é chamado hoje em dia, aquilo que as costureiras (na época, a vovó) compravam na loja para confeccionar os vestidos, sim, porque meninos de 26 anos para baixo, para confeccionar as roupas que vocês compram prontas nas lojas, são costuradas por costureiras... eita lá vou eu viajando no pensamento.
    Mas o que eu queria mesmo contar aqui, é que, de tanto assistir nossas tias se aprontarem para o baile, claro que nós, né Wania?, queria imitar quando nossos hormônios começaram a transformar nossos corpos e, numa dessas imitada eu me dei mal... muito mal!!!! A preparação antes era muita e uma delas era o "raspar" as pernas ( é meninas... raspar as pernas com gilette, com dois tt) e eu muita idiota, escondida da minha mãe (depois levei um coro na bunda) fui fazer a tal façanha. Como era uma coisa escondido, lógico que não podia dar certo, como não bastasse tirar a pele do osso de UMA canela, tirei da outra também. Resultado: o sangue jorrava sem parar!!! E eu, claro, saí correndo do banheiro gritando pela casa da tia Waleska, pedindo socorro. Bem, aí você podem imaginar como eu fiquei : com mil curativos na pernas,com o "coro" quente (leia-se bunda quente) e os olhos inchados de chorar!!!!!!!!!!
    Daí que eu entendi perfeitamente o "OU" do título.
    Nossas tias ficavam no devaneio do "aprontar" e tinham que escolher entre as duas coisas. E nessa minha experiência, eu não "abri" baile nenhum, pois dei com os burros n´água!

    ResponderExcluir
  2. Entrei agora, 20/12 às 17:15PM horário local, é porque, sabe Deus quando isso aqui vai ao ar, né????? Bem, começando, entrei para ver se havia alguma atualização e não encontrei nada, mas dona do blog me conhecendo, como me conhece, sabe que não passo sem deixar meu suave perfume no ar....
    Prima amada, tentei entrar naquilo que é uma gracinha de selo (tem acento?) que você fez, mas não foi para lugar algum. As músicas aqui no blog, estão sem link ainda! Por falar em músicas, só estão aparecendo seis, mas já antevejo que seu bom gosto estará presente, como sempre. Por falar em músicas II (só para te imitar) isso sim é que são músicas, cada uma mais linda que outra... músicas para dançar, cortejar, namorar, embalar sonhos... em quantos bailes que fomos, elas eram as segundas estrelas da festa, sim, porque as primeiras eram nós, claro! Uma coisa puxa outra e com a palavra estrela misturada com sonho, formei aqui em meu pouco juízo existente a palavra: bolero. Um bolero bem dançado, com o rosto colado, eita.... e aí veio outra coisa, nossos sobrinhos hoje nem sabe como se dança isso, não??? Será que eles sabem o que um bolero? Voltando a era atual, na era deles, vou relatar um fato que me ocorreu uma vez, não faz muito tempo... nessa era virtual, eis que encontro uma pessoa para conversar nessa nossa era internetica! Menina... os namoros de hoje não são como antigamente... ele perguntou como eu era, tla e qual... eu gaiata e bem humorada que sou, disse que era gorda, com 150kg, banguela, feia, vesga, manca, e com muita celulite!!!!! Ele acreditou, pegou um bonde e foi dançar tango na Argentina e sabe Deus se volta!!!!! Esse povo acredita em tudo que a gente diz, né???? Vai lá saber porque!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Olhaaaaaaaaaaaaaaaaa meu comentário foi publicado na hora!!!!!!!!!!! Estamos progredindo!
    Isso... um passo de cada vez, assim que começa uma caminhada bonita!
    Se for pela torcida, chegará em lugares inimagináveis!!!!
    Vamos.. upa!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. É, mas o dia não é 20/12 e sim 19/12.
    Deve ser "ato-falho" querendo que o tempo passe rápido. Um certo alguém saberá porque essa pressa para o tempo andar ligeiro. Os dias se arrastam na espera...

    ResponderExcluir
  5. QUERIDA KÁTIA! REALMENTE VC ESTÁ TIRANDO MÚSICA DO FUNDÃO COMO EU, POIS BOLERO É DO TEMPO DO TIO WILLY.
    MAS ISSO NÃO IMPORTA NÃO É MESMO, PQ/ MUSICA BOA TRANSCENDE ÉPOCA.

    ResponderExcluir
  6. Renata querida,
    Veja se você não concorda comigo, existe alguma musica de 20 anos para cá que você lembre a letra inteira? Ten alguma musica de 20 anos para cá que não leve a palavra " bundinha" na letra? Tem alguma música de 20 anos para cá que você dance com elegância, com garbo??? Até onde eu sei, só existem aquelas que a gente tem que dar uma agachadinha, uma reboladinha, uma bundadinha... uma inha enfim!!!!! Pode prceber, toda musica tem essa rima hoje em dia!
    Não querida, jamais negarei minhas raizes dos anos 50/60/70. As músicas são melodiosas, românticas, nunca perdemos a classe ao dançá-las!!!!!
    Outro dia, achei de ir em uma boate mexicana, junto com sobrinhas "antenadas" até esqueci o nome da boate, para não ficar lembrando do mico!!! Haja tequila... chacoalhação de cabeça com olhos vendados... Fala aí Yna!!! King-kong era pouco!!!!!!!!!

    ResponderExcluir