Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

4 de dez de 2009

Há um nó dentro de mim*

*Titulo copiado de um poema de um menino turco de 8 anos
Ontem peguei o jornal e consegui ir até o fim sem jogá-lo longe assustando quem esta ao meu lado. Não li todo, aliás, penso que o que mais fiz foi abertura de braços quase sem parar, ou seja, uma ginástica melhor do que as feitas no dia a dia. Parei quatro vezes para ler o que chamou minha atenção e curiosamente não li nenhum artigo de articulista político, econômico, entre outros. O que li foi um artigo de um psicanalista, de uma neurologista, de um maratonista e de uma psicóloga educacional. O resto não era lucro, não era bonito, era a mesmice de sempre. Ao final e ao cabo percebi que estava com uma profunda antipatia e horror de Papai Noel. Nas propagandas e nos textos que vi lá estava a figura-criatura rindo como se me chamasse de bocó insinuando perguntas dando sugestões sobre os presentes que devo comprar para nós e para o diabo que o carregue.... Não agüento mais Papai Noel. Eles estão em todos os lugares subindo pelas paredes, escalando telhados, dançando, cumprimentando em mandarim, se enforcam enrolados em barbantes, assobiando, mostrando a bunda e fazendo ho ho ho ho, como imbecis. Estou chata? Ainda não viram nada. Devo estar mesmo, mas não dá mais para suportar uma cidade como São Paulo cheia dessa criatura em sua casa-criatura, sua roupa-criatura, seu trenó-criatura, suas renas-criaturas (nunca conheci uma de verdade nem no zoo). Pasmem! Há renas mexendo cabeças em jardins de prédios, nas janelas dos edifícios, em parquinhos, açougues, hospitais e delegacias. A sensação que tenho é que eles vão me engolir, portanto, horror é o sinto dessa figura e já faz um bom tempo. Podem me chamar de tudo quanto é coisa por pensar e externar o que sinto: louca, maluca (essas duas já estão gastas), mau humorada, ranzinza, desagradável, estraga-prazer, chata, individualista, sandeu, quarta-feira, surda, falante, bocuda (adoro essa) entre outras crenças tidas e havidas na família. Não estou nem aí!
Puxa vida, Wania, você não gosta de Papai Noel? perguntará o inocente. Não! Não mais! Infelizmente não se multiplicou com a criatura a magia que permeava seu simbolismo. O fascínio acabou. Virou competição. Não acredito mais em papai noel e tenho pena das crianças que começam a escrever cartinhas com pedidos para a criatura que vêem a todo instante. Tenho certeza que devem pensar pra quê escrever se posso falar? Posso mandar um e-mail? Crianças de hoje não sabem o que são cartas, pô! O que é demais cansa. Observo que ao longo do ano determinados locais permaneceram com decoração natalina o ano todo. Por que será? Vejo judeu, mulçumano querendo fazer parte da farra, como me disse um... Farra? Pensando bem, parece que é mesmo...
Papai Noel suplantou o significado de Natal. Matou o Natal, engoliu o Natal. Oh! Mas é uma belezinha... Você acha? Eu não acho mais... Quem é São Nicolau? Sei lá, dizem alguns... A figura do Papai Noel foi criada por um cartunista da Harper´s em 1867 e coca-cola de rolha.
Nunca fui crente nem religiosa fanática. Diria que na maior parte da minha vida fui agnóstica, no entanto, respeito tradições, pois acredito em sua razão de ser, de existir. Minha amiga Inez afirma com categoria que nem tudo que é tradicional é arcaico.Ela tem razão. Pensem nisso. O que é o Natal hoje em dia? Presente-desejado, presente-cobrança, presente-culpa, presente-obrigação; presente-modelo-viu-como-eu-sou-rico; presente-modelo-comigo-ninguem-pode; presente-comprador-individado; presente-sacanagem; presente-minha-mãe-que-comprou-não-tenho-nada-a-ver, presente-tapa-buraco, presente-rodizio, entre outros.
Não vamos nos esquecer que eu gosto de dar presente como já disse anteriormente. Mas gosto mais ainda de manter os conceitos corretos sobre as coisas. Exemplo: Corrupção é roubo é imoral e ilegal, Dinheiro de extorsão colocados em locais inimagináveis e imagináveis significa uma coisa só: falta de caráter. Matar é crime. Amor é lindo. O Natal quer dizer data comemorativa do nascimento de Cristo. E assim por diante... Encontrei num Site[i] uma coisa bem legal sobre a História de Natal: “A palavra CHRISTMAS (como o Natal é chamado nos países de língua inglesa) deriva da expressão...” siga o link (ops! ele sumiu)e de uma lida. Infelizmente, no hemisfério sul não dizemos dia de Cristo o que complica um pouco mais. A partir daí me veio à cabeça: quantos são os presépios que vemos por aí decorando vitrines, casas, entre outros locais? Por que estamos alterando o sentido, o significado do dia 25 de dezembro? Quem nos deu essa autorização? Deixou de ser a data em que se comemora o nascimento de Cristo para ser o dia de ganhar presente? Há uma prepotência predominante, penso eu. Qual seria? Vamos lá gente, pensando... Que referências têm sobre esse dia? O que ensinamos para as crianças? Contamos da necessidade de sermos bons, respeitadores para sermos merecedores ou não de presente? Ou dizemos vá arrumar seu quarto ou fique aí parado por 24 horas senão o papai Noel não traz presente...
Sabe, foi feita uma pesquisa internacional para saber se as pessoas valorizam o que damos a elas e o resultado não me espantou. Diante da questão (no Brasil): quanto você estaria disposto a pagar pelo presente que recebeu em 2008, chegou-se a conclusão que pagariam 47% a menos, ou seja, como afirma Contardo Calligaris, 47% dos gastos dos presenteadores não produziram valor nenhum. Nada!
Vou além: Será que podemos fazer um testezinho e perguntar no Natal 2009: Você gostou do presente que ganhou no ano passado? Usou? Aproveitou? Quem se arrisca a ouvir isso lembrando exatamente o que recebeu daquela pessoa? Não temos tempo para ficar com nossas pessoas; não queremos ouvir nada; não agüentamos ouvir sem interromper, não curtimos a presença do outro, não comemoramos verdadeiramente nada. Alguém teve paciência para ouvir músicas natalinas? Ou só queríamos abrir pacotes e rapidamente guardá-los em sacolas para que não se extraviem no caminho para casa. Isso me irrita, pois parece um marché-aux-puces.Pode falar, sou pedante mesmo; quis dizer feira livre. Estou com uma dificuldade enorme de lembrar de como meu presenteado recebeu meu presente. Não deu tempo de ver sua fisionomia. Pode ser gastura.
Minhas irmãs são muito criativas e esse ano, em particular, gostei da idéia que colocaram em pauta. O negocio é o seguinte: Wanilda tem uma colega de trabalho com família grande que tematizam o Natal. Escolhe-se um tema, tais como: branco, R$1,99, supermercado, papelaria, banca de jornal e após escolha do tema, cada um dos presentes pega um papelzinho com o nome do felizardo para entregar-lhe um mimo que não poderá ultrapassar R$ 15,00 (quinze reais)do tema em questão. É isso mesmo! Temos de ser criativos, é claro. Isso é demonstração de carinho e respeito por quem não tem “conções”, como diria o Waltinho na tentativa de dizer condições, de bancar, gastar, financiar qualquer coisa. E mais, dessa vez pode ser que o felizardo receba um presente que nem imaginava que gostaria de ter. Não seria o máximo? A Katya me fez recordar que aprendi muitas musicas de Natal quando criança. Verifico que ainda sei de cor, mas, infelizmente, esqueci de ensinar para meus sobrinhos. Segue abaixo algumas letras...
-------------------------------------------------
Noite Feliz
Noite feliz, Noite feliz, O Senhor, Deus de amor, pobrezinho nasceu em Belém. Eis na lapa Jesus, nosso bem. Dorme em paz, oh Jesus. Dorme em paz, oh Jesus. Noite de paz! Noite de amor! Tudo dorme em redor, entre os astros que espargem a luz, indicando o Menino Jesus. Brilha a estrela da paz. Noite de paz! Noite de amor! Nas campinas ao pastor, Lindos anjos mandados por Deus, Anunciam a nova dos céus; Nasce o bom Salvador! Noite de paz! Noite de amor!Oh, que belo resplendor Ilumina a o Menino Jesus! No presépio, do mundo eis a luz, Sol de eterno fulgor!

Jingle Bells

Hoje a noite é bela Juntos eu e ela Vamos a capela Felizes a rezar.Ao soar o sino Sino pequenino Vem o Deus-Menino Nos abençoar.Bate o sino pequenino sino de Belém Já nasceu o Deus menino para o nosso bem!É Natal, é Natal sininhos de luz! Replicai, badalai que nasceu Jesus! Paz na Terra pede o sino alegre a cantar!Abençoe, Deus Menino sempre o nosso lar! Brilha, brilha lá no céu Brilha, brilha, lá no céu, A estrelinha que nasceu. Logo outra surge ao lado Fica o céu iluminado. Brilha, brilha, lá no céu, A estrelinha que nasceu

Anoiteceu

Anoiteceu, o sino gemeu,a gente ficou, feliz a rezar.Papai Noel, vê se você tem,a felicidade prá você me dar.Eu pensei que todo mundo fosse filho de Papai Noel.Bem assim felicidade, eu pensei que fosse uma brincadeira de papel.Já faz tempo que pedi, mas o meu Papai Noel não vem.Com certeza já morreu ou então felicidade é brinquedo que não tem.

Natal das Crianças

Natal, Natal das crianças Natal da noite de luz Natal da estrela-guia Natal do Menino Jesus Blim, blão, blim, blão, blim, blão... Bate o sino da matriz Papai, mamãe rezando Para o mundo ser feliz Blim, blão, blim, blão, blim, blão... O Papai Noel chegou Também trazendo presente Para a vovó e o vovô

Bom Natal

Quero ver você não chorar, não olhar pra traz, nem se arrepender do que faz. Quero ver o amor vencer, mas se a dor nascer você resistir e sorrir. Se você pode ser assim, tão enorme assim, eu vou crer. Que o Natal existe, que ninguém é triste, que no mundo há sempre amor... Bom Natal, um feliz Natal, Muito amor e paz, pra você. Pra você...

Foi na noite de Natal

Foi na Noite de Natal noite de santa alegria caminhando vai José caminhando vai Maria. Ambos vão para Belém mais de noite que de dia e chegaram a Belém já toda a gente dormia Buscou lume S.José pois a noite estava fria e ficou ao desamparo sozinha a Virgem Maria Quando S.José voltou já viu a Virgem Maria com o Deus Menino nos braços que toda a gente alumia.

Noite Feliz

Noite feliz, Noite feliz, O Senhor, Deus de amor, pobrezinho nasceu em Belém. Eis na lapa Jesus, nosso bem. Dorme em paz, oh Jesus. Dorme em paz, oh Jesus. Noite de paz! Noite de amor! Tudo dorme em redor, entre os astros que espargem a luz, indicando o Menino Jesus. Brilha a estrela da paz. Noite de paz! Noite de amor! Nas campinas ao pastor, Lindos anjos mandados por Deus, Anunciam a nova dos céus; Nasce o bom Salvador! Noite de paz! Noite de amor! Oh, que belo resplendor Ilumina a o Menino Jesus! No presépio, do mundo eis a luz, Sol de eterno fulgor!

[i] Mulher Natural Todos os direitos reservados Projeto Iniciado em Abril/2001. Desenvolvido por Ana Lúcia Perri Barros

15 comentários:

  1. Recolhendo a minha insignificância, colocando no saco do Papai Noel, dando um nó e guardando atrás da porta.
    Sou uma pessoa que tenho muitos motivos para não gostar de Natal, não pelo real significado dele... mas por outras que não vem ao caso aqui mas, mesmo com todo esse mercantilismo em torno de toda festa, não só de Natal, a lembrança que tenho da chegada de Papai Noel me é terna.
    As músicas me enternece e acreditar em algo que nos traga "esperança" sempre nos faz uma pessoa melhor.
    Concordo que a massificação, a maneira distorcida de comemorar e muitas outras coisas que envolvem as festas natalinas, estão perdendo pelo caminho o verdadeira sentido: A comemoração do nascimento de Jesus.

    ResponderExcluir
  2. É isso Wania! Temos que resgatar a importãncia verdadeira do Natal e o que realmente significa a data. Vamos pedir graças a Jesus Cristo por estarmos todos juntos, com saúde!O amigo secreto é um convite a diversão, com mimos baratinhos e gostosos! Claro que o meu estará numa linda embalagem da Samaria. Quem pode , pode ... beijos Wanilda

    ResponderExcluir
  3. Ai, minha irmã Samaria.
    Já fez o blog? Que lindo.
    Katya não consigo aumentar as letras quando falo de minhas irmãs ou estou cega.
    beijos
    wania

    ResponderExcluir
  4. Minha mãe todo ano fazia uma árvore diferente. Fazia mesmo! Criava uma. Nada de pinheiros verdes de bolas e laços vermelhos e dourados. Eram argolas unidas por fios de nylon...galhos de árvores nativas....pinhas encarapitadas umas nas outras e assim por diante ...cada ano uma novidade multicilorida, mas o presépio era sempre o mesmo. Eu pensava em ter uma daquelas árvores imensas...sabe? Aquela que a estrela bate no teto de tão alta? Linda! Com laços vermelhos, bengalinhas, sinos, anjos, bolas....tudo o que é de direito existir em uma Árvore de Natal! Mas ela dizia que ou você trocava a árvore todo o ano ou teria que ficar com a mesma sete anos seguidos e que sete anos são sete anos (imagina ver sempre a mesma coisa por sete anos seguidos). Essas imensas árvores eram muito caras para ficarem apenas por um Natal. E, se ficassem sete anos, iríamos enjoar dela. O presépio não! Era pequeno...José, Maria e o Menino Jesus, nem animais tinha....mas todo ano estava lá....Ela dizia que o importante ali era a representação da família. Que o Natal era uma festa para a família. E que a família honrava o aniversariante. Mamãe ficou doente e as árvores não foram mais colocadas aqui em casa. Como colocar se eram criações? Nos anos seguintes enquanto ela tinha sua luta só me pedia para não esquecer de armar o presépio. E de fazer a bacalhoada caso alguém viesse.
    Natal pra mim já teve muitos significados e alguns deles deixaram marcas profundas, mas como disse anteriormente, hoje me dou o direito de no dia de Natal guardar a emoção do nascimento do aniversraiente. Comprei uma árvore no ano passado. Não é imensa mas tem tudo o que uma Árvore de Natal pode ter. Não sei se vou montá-la neste ano. Não quero enjoar! Quero continuar com a idéia de que Natal é uma festa para a família. Meus irmãos contituiram as suas.Talvez faça a bacalhoada se alguém aparecer.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Tentei entrar no blog da SAMARIA e fui barrada na porta :(

    ResponderExcluir
  6. Elas ainda estão fazendo, Katya. A Aline e a Wanilda e não liberaram ainda. Não sinta rejeitada, viu?

    ResponderExcluir
  7. Laura,
    Você não irá acreditar, mas estavamos tomando o famoso café da tarde quando minha mãe começou a contar como sua mãe sempre fez as arvores de Natal, como era criativa, como saia atrás de um galho e dali surgia algo incrivel. Fiquei impressionada com a sua sintonia e de sua madrinha. Concordo com tudo que disse e afirmo da mesma forma que Natal é uma festa familiar (com ou sem presenças físicas)
    Um beijo

    ResponderExcluir
  8. Minhas primas queridas,
    Eu amo o Natal e tudo o que ele representa...aqui em casa já tem enfeite na porta, no chaveiro, nas estantes e tem a arvore. Qdo me mudei pra essa casa, pedi ao Hélio que me trouxesse a maior que ele encontrasse, pois a sala é grande e ele pediu a vendedora que queria uma de 5 metros de altura...credo, ainda bem que ele não achou, mas todo ano a enfeito de forma diferente, com cores diversas e tento manter Jesus Cristo na minha casa o ano todo e não só no nascimento dele. De qualquer forma, ainda acho uma época mágica, principalmente porque sempre tivemos criança na casa, e essa inocencia e magia infantil me mantem otimista de que podemos criá-los num mundo melhor. Daqui a pouco terei netos e até lá, minha coleção de Papai Noel estará maior e ainda mais espalhada pela casa, mas meu presépio estará sempre montado...e como dizia tia Waldira, temos que montá-los por 7 anos seguidos, hj quem o monta em casa é o Vinicius, pois os outros dois já o fizeram pelos anos que lhes couberam. Espero que eles passem aos filhos nossa tradição. O mais importante nessa época é realmente a união, a fraternidade, a paz e o amor que Cristo nos ensinou.
    Um Santo Natal a todos nós!
    Amo voces.

    ResponderExcluir
  9. Sem dúvida Fer. Torço para que o papai noel continue sendo o figurante aí como aqui.
    Feliz Natal para vocês no sentido exato das palavras.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Sempre achei o mês de dezembro uma verdadeira benção. Qdo criança, achava todos os enfeites, as luzes, o Papai Noel, os duendes, os presentes dados e recebidos fabulosos.
    Cresci e continuo achando tudo isso necessário. EU preciso disso tudo.
    Descobri com os anos, que dia 1º de Dezembro começo a me preparar e arrumo minha casa - em todos os sentidos que essa palavra possa representar - para que dia 25 eu esteja energizada, glorificada e CHEIA de presentes. Sejam eles espirituais, físicos e materiais.

    Sempre comemoramos o Natal em família - sempre numerosa com muitas crianças. Qdo meu pai morreu, passei a ir no dia 24 pra Guaratinguetá, com a família do Zé e dia 25 o almoço era aqui em Campos. Qdo construimos nossa churrasqueira, passamos a fazer nossa festa aqui. Todo ano temos uma cor. Esse ano - as mulheres de vermelho e os homens de verde escuro - vamos nos presentear fisicamente com 36 pessoas cheias de energia, de sonhos e esperanças. Espiritualmente com uma dinâmica preparada pela Fernanda e no DVD minha avó Aurora nos abençoando com todas as propriedades e um Pai Nosso cheio de respeito.
    O material vai de cada um. Eu estou FABRICANDO os meus. É renovador! Necessário.

    ResponderExcluir
  11. Por aqui vamos comemoram na casa na minha irmã mais velha "Cristina" e do meu irmão do meio o Silvio, Pedro e Geórgia estão ansiosos, pois a avó e o avô vão estar presentes, e eles curtem muito.
    Dia 25, vamos para Consolação (terra da Balbina), e ficamos até a virada do ano e se não chover muito até um pouquinho mais.
    Acredito que os presentes fazem parte, não podemos deixar que os menores pensem que aquilo é o mais importante, ensinar com exemplos não é fácil, e sim durador.

    Um bom natal para essa família maravilhosa que eu me orgulho muito, e tenho muito prazer em estar junto, nem que seja VIRTUALMENTE.

    ResponderExcluir
  12. É muito bom sentir-se entendida. Meu problema não é, e nunca foi o Natal. Meu problema é só com distorções. Natal é Cristo e não Papai Noel. Concordo com que disseram e com o final do Wander. Exemplos não são faceis especialmente os adequados para durarem a vida toda. Os presentes? Quem começou a tradição foram os três reis magos (Baltazar, Gaspar e Melquior), Tá tudo certo!
    Não sei por que mas estou um tanto arrependida de ter desabafado meu "bode" com papei noel.

    ADORO NATAL! Adoro as comidas típicas da data, o burburinho, as casas movimentadas na rua, o presente, meus irmãos, meus sobrinhos e o clã inteiro que sei estarão em festa numa grande e enorme comunhão em nome de algo muito maior, infinitamente maior do que eu ou o pn. Para isso basta ler o que vocês escreveram, sem duvida, resultado de muitos exmplos adequados transmitidos.
    Obrigada
    beijim
    É só isso!

    ResponderExcluir
  13. Wania,
    Acredito que cada ser humano tem que ter sua individualidade respeitada. Nossas opiniões, se não concordadas, pelo menos respeitadas.
    Então não se sinta mal dizendo o que sente, não se sinta diferente sendo como você É.
    Adoro como você é, e o amor quando verdadeiro é incondicional.
    Não quero que você mude para que eu goste de você! ok???!! Quando se ama, ama mesmo!

    ResponderExcluir
  14. Concordo com a Kátia em genero, numero e degrau, como dizia um dos meus filhos!!!
    Acho que a Wania tem toda razão de se "emputecer" com a comercialização do Natal. Concordo que distorceram tudo, e tbem concordo com o Wander que mais do que palavras, são os exemplos que contam na educação de filhos e sobrinhos. Por isso que afirmo que AMO o Natal com todo seu significado e tbem não gosto do comercio que se fez em torno disso.
    Qto as comidas, estou meio impossibilitada de come-las como gostaria. Farei um natal mais light esse ano.
    Beijinhos com saudades em todos vcs.

    ResponderExcluir