Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

28 de abr de 2009

Indo ao encontro das lembranças

Estive totalmente fora do ar durante um tempo razoável, literalmente. Mas voltei, ah eu voltei. Quando volto é para ficar tanto no tempo quanto no espaço. Estou na Bahia. Vim para um casamento de um pertencente do clã. Quem? Um primo lindo, gracinha, educado, cavalheiro, como são todos os componentes do clã. O que significa isso em minha preciosa familia? Um ritual sagrado que independente do fato em si, irá servir para educar, ensinar, demonstrar tanto na pratica como na teoria, o que é ser parente. O que é necessário para que isso aconteça? Em primeiro lugar é o deslocamento de um grupo significativo de pessoas que se unem para testemunhar o rito, uma ação sagrada, com o respeito que isso merece. Em segundo vem uma serie de coisas que acontecerão (já citadas anteriormente) tais como: o pensar, a ação, as decisões como é necessario em eventos de tal magnitude. Ou seja, a escolha dos padrinhos, que deverão ter ciência do significado fundamental implicito nesse papel, antes de se preocupar com seu próprio traje; convidados, além de comparecerem com seus trajes de domingo, tem participação importante, na medida que deverão abrilhantar a festa com alegria, jovialidade por serem as "vozes de fundo" antes de mais nada. Os pais, antes de tudo, são os principais responsáveis pela "entrega" de seus filhos para constituir uma nova família que também fará parte do clã. E os noivos? Que papel representam nesse instante? O de continuidade? O de permanência? O de renovação? O de receptores de convidados e presentes? Sim e não. Na verdade o maior papel está na responsabilidade em compartilhar esse momento com pessoas que amam e que os amam. Está na coragem de mostrar para centenas e centenas de pessoas o amor recíproco, assumindo assim um compromisso sagrado: o matrimônio. Estou aqui como convidada e testemunha, mais uma vez, do quanto isso é importante, do quanto aprendemos, do quanto ensinamos. Sim. Casamentos, em nossa familia, são muito mais do que cair dentro d´água com vestido de organza, coques de laquê, do que esquecer malas com todos os calçados de um grupo, do que colocar desodorante spray ao invés de fixador nos cabelos, é muito mais do que colocar o colete errado e sofrer no aperto por horas; é mais do que desmaiar no altar, muito mais do que , ao trocar o sapato, arremessar um pé do par pela janela.

6 comentários:

  1. Amanheci com muita inspiração, mas por outro lado, muito anciosa por vários motivos. Um deles é referente a uma frase que foi dita pela dona do blog, sentada em nossa mesa de ceia, antes de ontem, aqui na Bahia. Sim, pois a dona do blog é uma pessoa tão querida, mas tããããããõoooooo querida, que foi capaz de me dar o prazer em vida, da sua presença, juntamente com a minha amada, querida, e idolatrada madinha, em nossa residência!!!
    Pois bem, ela disse assim: "melhor um fim terrível, do que um TERROR sem fim"
    Pensando nisso ontem de manhã, ás 9:32hs, resolvi pedir demissão do local insalubre e inóspto em que eu me encontrava. Depois dessa atitude, me senti um pouco mais "gente" pois até então estava igual aos habitantes daquela caverna. Eu por mais que não tenha opção "fora da caverna" prefiro a luz, do que a ignorância.
    Então a frase me cai muito bem agora.
    Sei que todo "fim terrível" termina, sendo redundante.
    Mas o assunto do momento é o grande acontencimento e MINHA AMADA FAMÍLIA.
    Meu sobrinho está a "dois passos do paraíso" junto com a minha querida e muito linda sobrinha!
    Sei que devem estar nervosos e anciosos, mas eu quero deixar aqui registrado, que eu, uma simples mortal e MADRINHA, estou tenho ânsias de felicidade. Queridos, todos aos que me leem: Vamos ao evento!
    Me aguardem, ainda voltarei com mais verbetes aqui.

    ResponderExcluir
  2. Como o ameaçado do comentário anterior, eis-me aqui com meus comentários "on-time" do grande acontecimento na família. Ontem podemos ter uma pequena prévia, veja que eu falei "pequena", pois a reunião alí era somente de um "tiquinho" da parte da família... Não diria uma "Torre de Babel", pois todos, independente da "função" sabiam os que os outros falavam, mesmo que em diversas línguas! Vou ser mais clara : uns davam apoio moral, outros pendurados no tronco, outros com sono, outros rindo, outros cobrindo presença em eventos que não podiam faltar, mas que chegou a tempo de fazer algo(dar carona para os que estavam à pé), outros alimentado quem precisava de alimento, outros sendo "multimídia", e muito poucos, como eu, só dando palpite!
    E um deles : ESTÁ TUDO LINDO!!!!!!!
    Ontem Wania me colocou como apêndice no blog e eu não sabendo nem por onde isso começa, tenho vontade de colocar uma amostra do making of da noite de ontem na residência da mãe do noivo.
    Vou esperar ela acordar, pois dorme que nem uma plebéia, sim pois, ela é uma rainha e eu não sei como consegue dormir como uma plebéia.
    Eu como uma reles mortal, estou acesa na tomada de 220, com os olhos cheios de pedregulhos, na ansiendade do "esperar pela festa" Que como já foi dito anteriormente aqui, é o MELHOR, mas neste caso acho que essa regra será quebrada, pois sinto que o DURANTE e o DEPOIS será lindo como está sendo o ANTES.
    Se tudo "me" for possível,(hummmm que portuguezinho safado) me aguardem....

    ResponderExcluir
  3. Meninas!
    Como é bom, mesmo estando presente só em espírito, sentir-se presente no todo, ouço as vozes (algumas, ainda não reconheço), vejo as expressões, os gestos, acompanho as risadas e sinto que faço parte! Esse sentimento é próprio de nossa família. A saudade só nos faz manter vivos, os nossos sentidos. Estarei, aqui, mas podem procurar....naquele cantinho...sentada...bem comportada...compenetrada no rito e orando pelos dois, eu.....e, depois da igreja, estarei na festa apreciando tudo e dançando bastante. Felicidades aos dois e muita alegria pra todos vocês.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Ah... Laura!!! Não faz assim!!
    A gente já está chorando antessssss de tudo! Você captou a onde a gente quis chegar e com maetria você soube expressar o sentimento que isso nos causa.
    Fato este, que a Wania, com a boca cheia de pasta de dente agora, saindo closet, vem gritar no meu ouvido, que ficou arrepiada e com os olhos cheios de lágrimas e que não se surpreende nem um pouco por você alcançar o espírito da coisa... você é da mesma safra!
    Laura querida, você chegou a escutar o Bobby McFerrin??? Fala a verdade, você chegou a notar que é Bach e Gounod JUNTOS???????
    Eu sou MADRINHA! Não me "cobo" em mim!

    ResponderExcluir
  5. Laura,
    Onde você lê Isadora Lobo, leia EU, a anta da Katya, aquela, sabe??? Que a Wania agora está chamando de "senil" !!!!
    Eu? Pode??
    Tatinha até pode um dia chegar a ser "senil" mas nunca perderá a pose e descerá do salto!!! "nóis pra perdê a charme, siô... vai demorá!" heheheh

    ResponderExcluir
  6. Meninas,
    Que bom que estão tão antenadas...não pensei que a minha mensagem pudesse chegar antes do final de todo o evento. Sei o quanto estão atribuladas com tudo o que vem pela frente...mas vai valer a pena. Katya...lóóóógico que vi! Como vejo todos os que são postados...eles são muito bons e calam fundo em nossa memória..cada um dentro do contexto ecolhido refletem os sentimentos de todos nós...coisa que Waninha sabe entender tão bem e que você consegue resumir em seus comentários. Somos, sim, da mesma safra, e isso muito me lisonjeia.
    Grata por suas palavras.
    beijos

    ResponderExcluir