Parentes queridos parentes

O que são parentes? Como surgem? São importantes? O que nos acrescentam? É sobre essas questões que me proponho a pensar e falar mais do que qualquer coisa. Não que outras coisas não sejam importantes.

12 de jan de 2009

Meia de seda ou abrir o baile?

Fiquei sem comunicação com o mundo. Durante os dois últimos dias só aparecia o aviso "acesso local" no rodapé de meu computador. (Fico me perguntando se a tal NET controla a quantidade de tempo que ficamos sem serviços tão baratinhos....). Lendo os deliciosos comentários que minha família fez e faz, pensei em muitas coisas para continuar meu relato, no entanto, durante o banho esqueci metade. É só tomar banho que minhas ideias vão embora.... êta! Eu poderia falar ainda muita coisa sobre nosso avô Benedito mas acredito que seja necessário falar um tiquinho de nossa avó Hilda. Os dois irão aparecer ao longo desse resgate-memorial muitas vezes, no entanto. se faz necessário apresentá-la aos poucos Para quem não teve o prazer de viver um baile não irá entender nada do que eu disser e isso me preocupa. Vejamos: Baile é algo que acontece num local onde pessoas se reunem para dançar. Normalmente no clube local. Minha família inteira sabe o que é um baile (menos os que têm menos de 26 anos, acho). Tudo podia acontecer num baile ou não, portanto a frase mais marcante de nossa vivência e formação nesse segmento foi: "O melhor do baile é esperar por ele! Quem frequentou bailes sabe dançar ´junto` várias ritmos, o que é uma delícia. Reconhecemos que a geração anterior a nossa, de nosso pais e tios, davam verdadeiro espetáculos no salão em qualquer cheek-to-cheek. Agora, dá para imaginar a geração de nossa avó? Segundo nos contam, baile que era baile mesmo, só começava quando ela chegava, pois era a moça que melhor dançava e todos a queriam como parceira. A moça que abria o baile! Temos um orgulho danado disso. Nossa avó dominava o salão com sua leveza e graciosidade. Uma vez, estávamos na sala da fazenda, quando ela apareceu vinda da cozinha com um pano de pratos nas mãos. O meu primo Klaus, que era rápido, espirituoso e sabia dançar, a pegou pela cintura e saiu rodopiando pela sala de maneira surpreendente. Quem ali estava ficou absolutamente fascinado ao vê-la, sem titubear. acompanhar meu primo com a leveza de quem sabia abrir vários bailes na vida. (Não importava sua idade que já passava dos 60 anos, a leveza, flexibilidade e ritmo eram os mesmos de seus 16 anos). Nesse dia tive certeza que ela dançava pra caramba pois, ninguém sai rodopiando inesperadamente e abandona seu parceiro com graça dizendo: "Agora chega, tenho de fazer o almoço"; e saiu sem tropeçar nem nada. Penso que só Ginger Rogers e Fred Astaire para fazer uma entrada e uma saída como ela fez. Observem os segundos iniciais e finais desse vídeo para entender melhor o que quero dizer. E, exceção dos sapateados, os rodopios foram muito semelhantes, tá? Independente de qualquer coisa, aproveitem para curtir algo diferente e verificar como é bom dançar. Continuarei amanhã.... Bons sonhos ! estava tão cansada ontem que não reparei que havia deixado de lado o vídeo. Desculpem!! Não tenho a menor ideia de como irá aparecer, mas se não der certo cá esta o link: http://www.youtube.com/watch?v=mxPgplMujzQ

5 comentários:

  1. Lembrar é um processo muito interessante e por forças das circuntâncias às vezes deixamos de fazer por algum motivo... muitas vezes até, para não "querer" lembrar, mas as coisas boas, são muito gostosas de lembra-las! Quantas e quantas vezes, em nossas conversas, não Wania, temos crises de risos tão intensas que é necessário, hoje em dia, balão de oxigênio, para recuperar nosso fôlego.
    Mas falando em baile... você me trouxe a mente ( nossa que frase de efeito) trazer a mente não é fácil... mas voltando ao baile, Tenho histórias diversas de vários bailes... uma delas, talvez a mais gostosa, é a de um baile onde fomos e uns amigos do Rio, Sérginho e ?, ah... esqueci do outro, descemos no Horácio, cheio até a tampa, como sempre uma lama hororosa naquela descida da fazenda, mas não deixavamos de fazer nada por estar assim, lembra??? Podiámos cair barranco abaixo, chegar na cidade toda suja, mas iámos...todas garbosas para o baile. E este que falo especialmente, foi quando dei meu primeiro beijo na boca... ah........ que coisa, nossa!!!!!!!!!! Lembro que dancei a música "Sâo Francisco".
    Tem um outro baile também, esse de carnaval... esse me deu arrepio só de lembrar, quase que morro, por ser confundida com um ladrão, bem... essa já é um "outro causo"

    Obs: Bons de pista mesmo, os que estão gravados nas minhas células de memória, eram Tia Wayne e Tio José Ireu. Como daçavam aquele casal, rodopiavam o salão do clube como se fosse plumas.
    Lembra da "Amp" ????

    ResponderExcluir
  2. Hoje de tarde minha presença se fez aqui, mas ainda não está postado o meu comentário, que por sinal, ficou muitos detalhes que ficaram sem ser colocados, mas isso agora não tem mais importância. O que acontece agora é que se eu escutar mais uma vez o "beijinhodoce" juro que vou me enforcar num pé de coentro! Gente... não aguento maisssssssssssssss, e o pior é que amanhã irá iniciar o big bode, é mole???!!! Então achei de entrar aqui para desabafar... Tá, sei que vocês irião dizer: mas aqui é lugar de fazer isso Katya???? Não, não é! Eu sei... ( cá estou, eu falando com meu outro eu! ) E que eu não posso passar sem deixar a minha marca, hummmmm acho que já lí isto em algum lugar!!! Por falar nisso, acho melhor eu recolher a minha insignificância e pegar um livro, para ler! "LÓGICO" que é para ler eeeeeee tansa!! Seria para atirar na TV ligada???
    Aproveitando também a passada, queria que vocês saibam que escutei o riso de minha tia, o sorriso aberto que ela tem, quando você Wania, me disse que as duas "morreram de rir"!!!!
    Outro detalhe de nossa família : ser superlativa em tudo! Se é para rir... nós "morremos" de rir!!!! Não deixamos nada ser pequeno... se é para brigarmos, brigamos JUNTAS... lembra???? Sempre juntas! Saber disto me deixa mais forte, me deixa mais feliz! Hoje eu vou dormir feliz!
    Tia amo você! Muito! Wania, diga isso a ela! Todos os dias...

    ResponderExcluir
  3. Em tempo: Hoje mostrei o seu blog para uma amiga, Wania... e o comentário dela foi o seguinte : "-Mal começou e já dá um livro!!!
    Que belo livro daria isso!"

    Mal sabe ela o que TEMOS ainda para, aliás VOCÊ tem para falar sobre "parentesqueridosparentes"

    Ah.. amo você também, viu?? Não fique com ciúmes,
    por falar em ciúmes, diga ao Maurício que eu mandei um abraços quebra costela pra ele. (se eu disser que o amo é aí mesmo que você irá ficar com ciúmes hehehe)

    ResponderExcluir
  4. OI Katya,
    Dei seus 'te amos' e beijos para a mamãe e ela enviou outros para você. De repente parou e me perguntou: " eu mandei um presente para minha afilhada, ninha filha?" As vezes ela esquece um tiquim das coisas por conta do derrame, viu? Mas uma coisa é certa: ela nunca esuqeceu que gosta de voc~e e que é sua madrinha,
    bjs
    Vamos ver se esse 'sistema-internético' não cai ou se não vai alagar até a ponta do poste...

    ResponderExcluir
  5. Aproveito para contar uma lembrança de baile, esse de carnaval. Pedi a Vó Hilda que me fizesse um shorts para ir ao Baile e ela me perguntou qdo era, e eu, agora mesmo Vó...só vou tomar banho para descermos a serra e ela fez....lembro perfeitamente, era azul clarinho e tina uma pala em V na frente, com barra italiana, pode? Ela na maquina de costura era demais...

    ResponderExcluir